Johnny Depp Forever
A sua fonte de informações sobre o ator e músico Johnny Depp
Vídeo: Johnny fala sobre ‘The Rum Diary’
outubro 13, 2011

No vídeo abaixo, Johnny Depp fala um pouco sobre “The Rum Diary” e Hunter S. Thompson à Associated Press. Leia o texto em seguida.

Depp é um fã do inovador jornalismo Gonzo desde que ele era jovem, e o primeiro que o retratou (ou, pelo menos, um personagem inspirado no Thompson) em 1998 em “Medo e Delírio em Las Vegas.” Os dois tornaram-se amigos, e Depp realmente descobriu um manuscrito inédito na casa de Thompson, que acabou se tornando “The Rum Diary”.

“Tem sido uma longa estrada”, disse Depp. “Eu disse ‘Cara, você sabe, por que você não publica isso? O que há de errado com você? É ótimo.’ E ele disse: “Sim, eu vou. Vou publicá-lo. Devemos fazê-lo em um filme. Vamos produzi-lo juntos. Vamos ser parceiros”. Eu disse, ‘OK’. Em seguida, ter perdido o meu parceiro em 2005, foi como uma espécie de – foi um longo caminho, sabe, espantando os fatos e tentando tirá-los do seu caminho para certificar-se de que isso ficou bem feito, sabe. ” Clique para continuar lendo >>>

Depp convenceu o ator e diretor Bruce Robinson a sair da aposentadoria para ajudar a escrever o roteiro e dirigir “The Rum Diary”. Depp estrela como Paul Kemp, um jornalista de Nova York, que consegue um emprego em um jornal em Porto Rico, em 1960, e cai em aventuras ao mesmo tempo que encontra a corrupção em um grande negócio e consome álcool demais. O filme é dedicado à memória de Thompson, que cometeu suicídio em 2005.

Então, quanto de bebida tiveram Depp e Robinson realmente no set?

“Não o suficiente. Não o suficiente”, diz Depp. “Bruce Robinson e eu tínhamos feito um pacto, a fim de – achamos que a coisa fácil de fazer seria ir lá e só beber rum e trabalhar, beber rum e trabalhar e tudo isso. Então fizemos um pacto para tentar permanecer sóbrios durante a produção do filme. E tudo correu bem por cerca de dois meses até uma noite, muito tarde. Nós estávamos trabalhando há noites e o dia foi simplesmente nascendo, e fazia cerca de 3 bilhões de graus lá fora e 4 bilhões de graus de umidade. E havia uma bodega pequena, uma pequena loja de esquina, sabe. E eu só sabia que eles tinham Coronas geladas. Então eu disse: “Bruce, eu não me importo, cara. Eu não me importo mais. Tenho que ter uma”. Então, corremos para lá, bebemos cerca de três delas e era o fim da sobriedade. Portanto, há rum muito bom lá”.

O filme também é estrelado por Aaron Eckhart, co-estrela de Depp “Inimigos Públicos” Giovanni Ribisi, Amber Heard e Michael Rispoli. Ele gira em torno do desgosto de Thompson na desigualdade de renda e ganância que ele observa em San Juan – um desgosto que Depp diz compartilhar.

“Isso existe até hoje em altíssimo nível — Você lê sobre isso todos os dias no jornal. O que é o sonho? É uma poça de ganância”, disse Depp. “Eu não iria começar a descrever Hunter como um pessimista. Pensei que ele era um realista. Pensei que ele estava prestes a lidar com o que existia. E isso é o que existe.”

Questionado sobre as piadas do filme com os protestos “Occupy Wall Street”, que começaram há várias semanas e têm se expandido nos últimos dias em todos os EUA, Depp difere .

“Acho que há uma série de situações no filme que definitivamente se correlacionam com eventos atuais, com certeza. Eu não tenho seguido o Wall Street tanto assim. Então, eu realmente não sei muito sobre isso”, disse ele. “Mas eu sei sobre a deterioração de um paraíso que então existia. Especialmente depois de Cuba não esteve mais disponível para os Estados Unidos, Porto Rico foi a próxima vítima, não foi isso? – E esse tipo de coisa ainda existe em todo o mundo. Não somente com os Estados Unidos, mas em muitos países.”

Agradecimentos pelo texto: Emma do Johnny Depp Zone

Tradução: Cristina – Equipe Johnny Depp Forever – Não reproduza sem os créditos!

Leave a comment