Johnny Depp Forever
A sua fonte de informações sobre o ator e músico Johnny Depp
Johnny Depp fala sobre tornar-se Whitey Bulger em “Aliança do Crime”
setembro 7, 2015

Johnny Depp apareceu em alto astral durante uma conferência de imprensa sexta-feira, em Veneza, para promover seu novo filme “Aliança do Crime”, dirigido por Scott Cooper.

O ator já está gerando barulho para o Oscar por sua transformação em um dos mais infames senhores do crime de Boston, James “Whitey” Bulger.

Vestido com uma jaqueta verde, ostentando seus marcantes óculos de lente azul e segurando uma cerveja, Depp disse à imprensa antes de começar, “Eu só quero salientar que isto é não-alcoólico e se eu caluniar, isso é culpa sua”.

Ele também fez uma piada sobre seus cães quando perguntado se ele os tinha trazido com ele na turnê de imprensa. “Não, matei meus cães, e os comi, sob as ordens diretas de algum tipo de, eu não sei, fatigante, grande homem desapontado da Austrália”, disse ele, referindo-se ao incidente no início deste ano, quando autoridades australianas ameaçaram sacrificar seus cães por serem introduzidos no país sem as autorizações necessárias.

Depp, que teve uma parte equitativa dos papéis mais brincalhões em sua carreira, foi perguntado se ele teve que entrar em contato com seu lado mau para o papel. “Encontrei o mal em mim mesmo há muito tempo, e aceitei. Somos velhos amigos”, disse ele.

O ator foi creditado por trazer um lado humano ao chefe do crime que foi acusado de 19 assassinatos após ter recebido carta branca do FBI em Boston para sua própria algazarra, em troca de ajudar a derrubar o patriarca da família ítalo-americana rival no crime.

“Para um personagem como James Bulger, acho que você tem apenas que abordá-lo como um ser humano”, ele continuou, “no sentido de que ninguém acorda de manhã e faz a barba ou escova os dentes e se olha no espelho e pensa ‘Eu sou mau’ ou ‘eu vou fazer alguma coisa má hoje'”.

“Acho que, no contexto da sua atividade profissional, a violência não era apenas uma parte do trabalho, digamos, também era um tipo de linguagem, que as pessoas com quem ele se associava e as pessoas a que ele se opunha, entendiam a mesma língua. Era uma língua”, continuou ele.

Sobre interpretar o papel de um chefe do crime da vida real, Depp explicou que não teve muito para trabalhar, além de algumas fitas de vídeo. Ele pediu para se encontrar com Bulger, que atualmente está cumprindo duas penas de prisão perpétua mais cinco anos de prisão, mas o ex-chefe da máfia respeitosamente declinou. “Não acho que ele fosse um grande fã do livro ‘Black Mass’ ou qualquer um dos livros escritos sobre ele”, explicou. Mas o advogado de Bulger, Jay Carney, ajudou Depp com o papel e achou o desempenho de Depp avassalador.

“Jay veio ao set e assisitu algumas vezes e ele me deu muita confiança, porque disse que podia sentir seu velho amigo no que eu estava fazendo”, explicou Depp.

Para Depp, a emoção em interpretar Bulger foi assumir um personagem tão complicado. “É emocionante quando você pode trocar as marchas, quando você pode ir de 90 a 20 e pode voltar de 20 até 120”, disse ele. “É um desafio. Não posso dizer gratificante, porque acho que a satisfação é uma coisa ruim para se sentir, porque então você se torna falho. Ele era complicado e há uma parte em que ele carregaria mantimentos de uma velha senhora em uma casa e 10 minutos mais tarde ele poderia estar batendo o crânio de alguém, mas para ele isso era tudo o que sabia”.

A intensa transformação física de Depp em um gângster careca, de olhos azuis foi criada por seu colaborador frequente Joel Harlow, que criou quatro ou cinco testes antes de finalizar o visual. “Pensei que era muito, muito importante parecer tanto como Jimmy Bulger quanto humanamente possível. Meus olhos são pretos como o ás de espadas. As lentes azuis foram pintadas à mão, porque elas precisavam ser penetrantes. Elas precisavam cortar através de você”.

Como um dos melhores ingressos do festival, milhares de pessoas faziam fila ao lado do tapete vermelho, começando tão cedo quanto seis horas da manhã, para obter um vislumbre de Depp. “Eu nunca gostei do termo fãs”, disse ele sobre a atenção. “Mas eu considero essas pessoas essencialmente nossos empregadores. Elas são o chefe, porque elas são os únicos que vão ao cinema e gastam seu dinheiro suado para escapar por duas horas para assistir a um filme. Agradeço aos meus chefes lá fora”.

Fonte
Tradução: Cristina – Equipe Johnny Depp Forever

Leave a comment