Johnny Depp Forever
A sua fonte de informações sobre o ator e músico Johnny Depp
Conferência de “Sombras da Noite”: o que Johnny disse
maio 8, 2012

Leia a seguir, trechos da entrevista que Johnny deu no domingo passado, durante a conferência de imprensa de seu mais novo filme.

Este remake foi idéia de Johnny Depp:

Apenas como um fã da série, a nossa conversa inicial sobre a coisa toda foi durante “Sweeney Todd”, onde eu deixei escapar no meio da conversa: “Deus, talvez devêssemos fazer um filme de vampiros juntos, onde você tem um vampiro que se parece com um vampiro”. “Dark Shadows” foi meio que surgindo, e, em seguida, Tim [Burton] e eu começamos a conversar sobre isso. Quando Tim e eu nos reunimos, começamos a descobrir como ele deveria ser moldado, e depois [o roteirista] Seth [Grahame-Smith] veio a bordo. Uma coisa levou à outra e ele basicamente ditou-nos o que queria ser, em certo sentido, certamente com Tim na linha de frente liderando o grupo.

A primeira mordida como Barnabas Collins:

Eu me senti como se estivesse mordendo um dos Village People. Quando tinha os dentes, tive ser um pouco cuidadoso para não perfurar a jugular, foi como a minha experiência de barbear Alan Rickman, que por sinal nenhum de nós quer fazer de novo, especialmente Alan.

Uma pergunta sobre o figurino ser particularmente específico em relação à sobrecasaca de Barnabas:

Você faz um filme, dependendo do personagem, há algum grau de maquiagem envolvido, especialmente quando você está fazendo um vampiro e está tudo branco e parecendo morto.  Sobre figurinos geralmente há sobrecasacas, o que eu aprecio. Estou usando sobrecasaca hoje. Colleen Atwood e seu olhar incrível e seu gosto incrível, ela tem uma magia real. Considerando assim, pondo esse tipo de armadura que Colleen criou, o personagem começa a ganhar vida, por isso é quase como trabalhar de fora para dentro, em um sentido. Você colocou este terno ou qualquer outra coisa que faz você levantar ou andar de uma determinada maneira.

Seguindo sobre a bengala de Barnabas Collins:

A bengala foi uma das coisas que sobraram da série. É praticamente o mesmo desenho, ligeiramente alterado, mas praticamente o mesmo projeto. Não é uma bengala com ponta de prata, porque minha mão teria explodido em chamas, o que teria deixado minha sobrecasaca em chamas. Então, não pudemos fazê-la assim.

Um jornalista educado chama Johnny de “Senhor Depp”:

Senhor Depp é meu pai.

Clique para continuar lendo >>>

Um repórter diz que entrevistou Chris Sarandon de “A Hora do Pesadelo”, que manifestou simpatia por Depp usar unhas longas de vampiros, porque torna mais difícil de ir ao banheiro:

Alguém sentiu pena de mim com as unhas. Há muitas mais razões para sentir pena de mim. Podemos passar por eles agora, ou nós podemos simplesmente nos afagar depois. Um grande afago em grupo. Em cada filme que eu tive sorte o suficiente para fazer com Tim, há sempre alguma forma de tortura, e as unhas foram idéia de Tim. Elas eram compridas como os dedos e tal, mas foi tudo bem porque eu tinha uma tropa de pessoas que iriam me ajudar a ir ao banheiro. Eles tiveram que ter um tratamento mais tarde, mas eles estão bem agora. Isso é verdade.

Johnny Depp responde a cínicos que sugerem que ninguém quer outro remake de programa de TV:

Eu acho que a Warner Brothers entrou nisso esperando que fosse indesejado. Quer dizer, eu acho que todo mundo provavelmente deve abordar um filme que é uma outra coisa indesejada. Isso vai ser marcado a ferro em meu cérebro para o resto da minha vida. Obrigado por isso.

Um jornalista pergunta se Depp fez um bom negócio com o diabo para parecer tão jovem:

Você está perdendo o ponto. Eu sou o diabo. Eu sou Satanás. E eu tenho dormido em seu sofá durante meses.

A verdade sobre o crédito a Johnny Depp como produtor.

É quase impossível me considerar um produtor. Eu mal posso produzir um bolinho inglês pela manhã. [Apontando para Richard Zanuck] Esse é o produtor.

Johnny Depp nos anos 70.

O que eu queria encontrar e o que eu queria que Barnabas encontrasse, a idéia deste cavalheiro muito elegante, de escalão superior, bem educado, que é amaldiçoado no século 18 e é trazido de volta para, provavelmente, o que foi o mais surreal do nosso tempo, os anos 1970, 1972. Como ele reage às coisas, quão radicalmente diferentes as coisas estavam, não apenas pela tecnologia e automóveis e tais itens, mas pelos atuais itens de apreciação para pessoas, como bichinhos de pelúcia e flores falsas e frutas de plástico e bonecos Troll e lâmpadas de lava. Oh sim, as corujas em macramé. Essas foram minhas favoritas.

Johnny Depp nos anos 70.

1972, a lembrança é de ternos verde-limão e corujas em macramé, sapatos cor de terra, as coisas estranhas que então não faziam sentido e ainda não o fazem.

Johnny Depp sobre o fascínio dos vampiros:

É uma coisa estranha, porque, como uma criança, você tem esse fascínio. Eu certamente tinha essa fascinação com monstros e vampiros, assim como Tim, e o que quer que fosse desta escuridão, deste mistério, desta trama. E então, como você envelhece, você reconhece a natureza erótica do vampiro e a fantasia do morto-vivo. O que foi mais interessante, em relação a Barnabas, foi a idéia da combinação. Foi um verdadeiro desafio, provavelmente, mais para Tim do que para mim, fazer com que aquele vampiro, que é claramente um vampiro se adaptar à essa sociedade estranha e esta família disfuncional. Eu acho que ele fez isso sem problemas.

O personagem que Johnny Depp escolheria para ser se ele pudesse viver como um de seus personagens:

Uau. Provavelmente, o Conde de Rochester.

Jonathan Frid, Nosferatu e influências de outros vampiros:

Abordando Barnabas, mesmo nos primeiros dias de tentativa de explorar as possibilidades do personagem, não importa onde eu estive em meus pensamentos, se tentei desviar do personagem original de Jonathan Frid, foi evidente para Tim e eu que tinha que ser enraizado no Barnabas de Jonathan. Tinha que ser. Era tão clássico e esse tipo de monstro clássico, como os da revista Fangoria ou esse tipo de coisa.  Em termos de que,  quando Jonathan estava fazendo Barnabas, tinha uma certa rigidez nele, essa elegância que sempre esteve lá. Tim e eu falamos no início que um vampiro deve se parecer com um vampiro. Foi uma rebelião contra os vampiros que se parecem com os modelos de cueca. Houve um pouco de Nosferatu lá, também.

O dia em que o elenco original de “Dark Shadows” foi ao set:

Foi ótimo e eu achei que foi ótimo da parte de Tim trazê-los. Foi a nossa maneira de saudá-los e Jonathan foi ótimo. Ele já havia me escrito uma carta uns dois anos antes e assinou uma fotografia para mim, passando o bastão de Barnabas, e eu achei que foi muito doce. Ele tinha sua bengala com ele, sua bengala  original de Barnabas e eu não tinha certeza, se quando ele me visse ia me atacar com ela, mas ele não fez isso

Johnny Depp sobre “The Night Stalker”:

Desde “Dark Shadows”, “The Night Stalker” apareceu, e foi um show que eu realmente amei. Novamente, há esse tom estranho. Este repórter torna-se um detetive nestas situações realmente estranhas. Sim, Dan Curtis foi uma grande, grande influência.

Johnny Depp sobre estrelar em “My Valentine”, vídeo da música de Paul McCartney:

O tenho conhecido ao longo dos anos e então ele me ligou e perguntou se eu estaria interessado em estar em seu vídeo. “Certamente.” “Bem, vamos fazê-lo.” Foi divertido. Eu tive que aprender linguagem gestual. Eu acho que a linguagem gestual é aparentemente muito interpretativa. Não é rotina e é tudo meio diferente e, aparentemente, em vez de “amor”, eu acho que eu poderia ter dito “assassinato”. Mas eu estava apenas copiando o que o cara me mostrou, então o segui.

Fonte

Tradução e adaptação: Cristina – Equipe Johnny Depp Forever
Não reproduza sem os créditos!

Leave a comment